Como a água chega em nossas casas?

São quilômetros de distância, muitas vezes mais de 100 km, desde as inúmeras nascentes na região do Sistema Cantareira que contribuem com os reservatórios até a chegada da água as nossas casas!

Mesmo que a água pareça nascer das nossas torneiras de uma forma mágica, na verdade, ela vem de muito, mas muito longe. São quilômetros de distância para que a água potável chegue perfeitamente as nossas casas.

Esse processo se inicia nos municípios provedores, ou seja, os que fornecem água para o Sistema Cantareira. Bragança Paulista, Joanópolis, Piracaia, Mairiporã e Nazaré Paulista, em São Paulo são desse grupo. Extrema, Itapeva, em Minas Gerais, também.    

No quesito distância, Camanducaia, é o município mineiro de provedores mais distante do centro de tratamento em Guaraú, de onde a água sai em direção às cidades beneficiárias.    

 

A água antes do reservatório

O Sistema Cantareira é formado por cinco reservatórios, Jaguari e Jacareí, em Bragança Paulista; Cachoeira, em Piracaia, Atibainha, em Nazaré Paulista e Paiva Castro, em Mairiporã. Mas qual o caminho que a água faz até chegar nesses locais?

A água vem das nascentes e dos rios que podem ser vistos com muita frequência na região. Uma prova disso é que caminhando por ali não é difícil encontrar propriedade com mais de 10 nascentes.

Apesar de toda essa abundância, durante a crise hídrica, que ocorreu entre 2013 e 2015, houve muitos relatos de moradores da região que viram algumas dessas nascentes secarem.

Todos esses fatores preocupam bastante quem mora região, só que isso também deve chamar a atenção de quem vê essa água apenas quando abre a torneira. Afinal, para 7,6 milhões de pessoas de São Paulo e da Região Metropolitana, a água, essa mesma que sacia a nossa sede, vem de lá do Sistema Cantareira.

 

Como a chuva entra no processo?

A chuva é também bem importante para o Sistema Cantareira, mas você sabia que dependendo do uso do solo a chuva é absorvida de diferentes formas? Em áreas de Mata Atlântica, a água da chuva infiltra mais e melhor no solo, o que soma pontos quando o assunto é a segurança em relação à água que contribui com o Sistema.

Por outro lado, quando a vegetação está rala e o solo já apresenta erosão, aí nem a chuva consegue infiltrar como poderia. Em outras palavras, a gente acaba desperdiçando a chuva. Por esse motivo é essencial plantar nessa região, mas isso a gente te explica mais para frente.  

clique aqui para saber.

 

Tinham muitos quilômetros no meio do caminho

Mesmo que sejam produzidos cerca de 30 mil litros de água por segundo, a distribuição de toda essa quantidade vai para cidades distantes, onde poucas pessoas devem saber que são beneficiadas pelo Sistema Cantareira.

Uma das cidades que mais fica afastada dos reservatórios é São Caetano do Sul, a mais ou menos 140 quilômetros de distância. Com esse exemplo, a gente consegue ter uma noção da distância percorrida.

Realmente, o caminho é longo para que a água saia limpa das nossas torneiras. É importante conhecer esse trajeto, e os desafios da região, para fazermos um bom uso e sabermos da importância da água do Sistema Cantareira. Afinal, boa parte da água que consumimos no dia a dia vem de lá.