Políticas Públicas

O tema é transversal no Projeto Semeando Água.

O IPÊ atua na região do Sistema Cantareira com objetivo de alinhar desenvolvimento socioeconômico sustentável à conservação dos recursos naturais. No histórico, projetos de apoio à comunidade, educação ambiental com escolas públicas e restauração, fazem parte dos esforços do Instituto pela proteção dos recursos hídricos. Desde 2013, por meio do Projeto Semeando Água, o Instituto tem avançado na pauta da segurança hídrica na região e para seus beneficiários.

O Projeto Semeando Água visa aumentar a segurança hídrica do Sistema Cantareira, incluindo medidas de adaptação e mitigação às mudanças climáticas. Nessa direção, entre as principais estratégias está a adoção de novas tecnologias de produção rural, como o Manejo de Pastagem Ecológica, Silvicultura de Nativas e Sistemas Agroflorestais, e a restauração florestal de áreas degradadas, sobretudo APPs utilizando o conceito das Soluções Baseadas na Natureza.

Como forma de garantir escala a esse objetivo, beneficiando tanto quem vive na região do Sistema Cantareira, como também 7,6 milhões pessoas da região metropolitana de São Paulo que recebem a água do Sistema, o Projeto conta com a frente de Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial que atua em articulação com múltiplos atores sociais, como profissionais dos governos municipais e estaduais, além da iniciativa privada e de organizações da sociedade civil.

A formação de uma rede de apoio intersetorial e a organização de um Plano de Ação com diversos atores têm o potencial de instituir uma abordagem integrada da paisagem, alinhada aos mecanismos legais já existentes e possibilitando a construção de novos instrumentos de políticas públicas, criando diretrizes com base na ciência, na economia verde e na agricultura de baixo carbono adequadas às peculiaridades da região.

Um momento-chave na articulação dos diversos atores que atuam na região foi o Encontro sobre os desafios e oportunidades para aumentar a segurança hídrica no Sistema Cantareira, realizado em 2018. Saiba como foi e os avanços obtidos.

Consuelo Franco Marra, geóloga e especialista em Recursos Hídricos na Coordenação de Implementação de Projetos Indutores da Agência Nacional de Águas (ANA,) em apresentação no Encontro de Recursos Hídricos.

Diante da emergência climática e suas consequências, diversos países e blocos econômicos vêm colocando como imprescindível a implementação de um modelo de desenvolvimento capaz de promover avanços nas esferas ambiental, social, econômica, além de boas práticas de gestão e governança.  

A frente de Políticas Públicas também busca dialogar com os governos locais sobre a necessidade de formulações de políticas sob uma nova dimensão dos investimentos, possibilitando uma recuperação econômica pós-COVID baseada na economia regenerativa, que traz os princípios da sustentabilidade (social, ambiental e econômica) alinhados à importância de ações com capacidade de contribuir com a regeneração do planeta.

Conheça os principais avanços obtidos:

  • CARTA DO SISTEMA CANTAREIRA: intenções e ações para assegurar a disponibilidade hídrica de um dos sistemas mais importantes do planeta.

O documento desenvolvido de maneira participativa está entre os principais resultados do Encontro sobre os desafios e oportunidades para aumentar a segurança hídrica no Sistema Cantareira realizado em 2018.

  • Confira matéria sobre o Encontro 

  • Priorização das linhas de pesquisa propostas para a região do Contínuo Cantareira
  • Protocolo de Boas Práticas: envolve a relação pesquisador/gestor e UC/universidade no Sistema de Áreas Protegidas do Contínuo Cantareira

Ambos desenvolvidos a partir de Simpósio Técnico-Científico do Continuum Cantareira, em conjunto com gestores de Unidades de Conservação (UCs), pesquisadores e lideranças que estão articulados na Rede Contínuo Cantareira.
O evento é uma parceria da Fundação Florestal com o IPÊ que contou com apoio do Instituto Florestal, da ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade e do Projeto Semeando Água.

A equipe do Projeto Semeando Água integra diversos Fóruns e Conselhos, atuando e promovendo as discussões e construções conjuntas de diretrizes e políticas públicas voltadas à segurança hídrica, agricultura, meio ambiente, economia, clima e educação ambiental.

  • Conselho Gestor das APAS Piracicaba/Juqueri-Mirim Área II, Sistema Cantareira e Represa Bairro da Usina
  • COMAM – Conselho de Meio Ambiente do Município de Nazaré Paulista
  • Câmaras Técnicas de Planejamento, Educação Ambiental, Rural, Plano de Bacias e Recursos Naturais dos comitês das bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (CBH PJC)
  • Frente Parlamentar Ambientalista pela Defesa da Água e do Saneamento de São Paulo, da Alesp – Assembleia Legislativa do Estado, por meio do Grupo de Trabalho sobre Florestas, Unidades de Conservação e Agroecologia
  • Frente Parlamentar Ambiental
  • Observatório do Clima
  • Fórum Florestal de São Paulo
  • Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura
  • Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental do estado de São Paulo (CIEA-SP)