OBJETIVOS
Incentivar estudos sobre os serviços da natureza ou serviços ecossistêmicos da Mata Atlântica, relacionando-os à produção de alimentos e de água.

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – ODS

ODS 2 para crianças

ODS 4 para crianças

ODS 6 para crianças

ODS 15 para crianças

CONHECER E COMPREENDER

A nossa vida e a de todos os outros seres vivos depende de benefícios que a natureza oferece sem cobrar nada. São os chamados serviços ambientais que nos afetam direta e indiretamente, sustentando toda a vida no planeta.

Na região do Sistema Cantareira, compreendida entre o sul do Estado de Minas Gerais e alguns municípios do Estado de São Paulo, o bioma predominante é a Mata Atlântica, o mais rico em biodiversidade em todo o planeta. Há um número incrível de espécies de plantas, animais, fungos e outros microrganismos vivendo neste ecossistema, sendo que algumas dessas espécies nem foram catalogadas ainda. O desmatamento, as queimadas e a produção de alimentos com a aplicação de produtos tóxicos são grandes ameaças à sobrevivência de todas as espécies, inclusive a nossa. São atividades que causam a diminuição ou a perda de serviços como a polinização e a provisão de água.

Há também espécies endêmicas, que só existem na Mata Atlântica e em nenhum outro lugar no mundo, como é o caso do mico-leão-preto, espécie que se tornou símbolo do Estado de São Paulo e que só pode ser encontrada na região do Pontal do Paranapanema. Há 35 anos o IPÊ- Instituto de Pesquisas Ecológicas desenvolve pesquisas sobre ele. A maior ameaça à conservação do mico-leão-preto é o desmatamento, que ocasiona o isolamento das populações, a degradação do seu habitat e a perda dos serviços que também nos afetam. Felizmente, nesses 35 anos, o trabalho integrado de pesquisadores, educadores, estudantes e toda a comunidade da região do Pontal vem trazendo bons resultados e você pode assistir aqui nesta reportagem.

Entendendo a polinização

As abelhas são os agentes mais importantes neste processo, garantindo a produção de frutos e sementes e a reprodução de diversas plantas. Ao visitar as flores, as abelhas promovem o encontro de células reprodutoras das plantas, favorecendo a fecundação como você pode conferir aqui neste vídeo. Assim, ao visitar mais de 200 flores por dia, uma única abelha já ajuda muito na manutenção da biodiversidade. Sem o trabalho delas seria bem difícil comer manga, tomate, maçã e até vestir as nossas roupas de algodão. Isso sem falar no mel, um alimento produzido a partir do néctar recolhido das flores e processado pelas enzimas digestivas das abelhas. O mel sempre foi utilizado pela humanidade e apresenta muitas propriedades benéficas à saúde, além de ser delicioso.

Mais sobre a água

Quando o assunto é água temos que ficar muito atentos, pois ela é vital para a sobrevivência de todas as espécies. Além de saciar a sede, é utilizada no preparo dos alimentos, na higiene pessoal e de nossas casas, e ainda é necessária para atender às necessidades agrícolas, industriais e de serviços.

Nas cidades de Camanducaia, Extrema e Itapeva (MG) e em Mairiporã, Nazaré Paulista, Piracaia, Joanópolis e Bragança Paulista (SP) estão as nascentes, córregos, rios e reservatórios que formam o Sistema Cantareira de abastecimento de água. Atualmente, esse sistema abastece cerca de 7,6 milhões de pessoas na capital e em municípios da região metropolitana de São Paulo. No interior, as regiões de Campinas e Piracicaba também recebem água deste, que é um dos maiores sistemas de abastecimento de água do mundo.

A água também é um serviço ambiental que depende muito do cuidado com as florestas, pois elas protegem os mananciais. Apesar disso, ainda presenciamos os seres humanos poluindo e degradando os corpos d’água e isso nos atinge diretamente, por meio de contaminações e inundações, por exemplo. O descarte de resíduos no ambiente é um exemplo do que devemos evitar para que não ocorra a contaminação da água. O desmatamento também compromete a qualidade e a quantidade da água, pois quando o solo fica exposto é mais difícil para a água da chuva infiltrar e recarregar os lençóis de água subterrâneos. Ao contrário, a água escorre superficialmente e carrega com ela parte do solo com uma série de nutrientes para dentro dos córregos e rios. O resultado disso é a erosão e o assoreamento, que podem ser explicados aos alunos por meio de um experimento simples, que já ensinamos a fazer na Aventura Socioambiental do mês de março.

Vídeo O caminho que a água percorre

Vídeo Biodiversidade da Mata Atlântica