Frutas bonitas, saborosas e de fácil acesso ao produtor rural, assim o consultor Takanoli Tokunaga resume os benefícios que são possíveis por meio de podas bem feitas, durante o curso Poda de Árvores, no fim de maio (27), na esfera do Projeto Semeando Água, para um público formado por produtores rurais e de técnicos da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável – CDRS.

O curso dividido em duas partes, teve os conceitos compartilhados na sede do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, em Nazaré Paulista, e a parte prática no sítio da produtora rural Ana Paula Figueiredo que conta com mais de 300 goiabeiras, no mesmo município.

Tokunaga reforça a importância de podar as frutíferas desde o início e de evitar podas drásticas. “Com a poda correta é possível aumentar a produção, no entanto, da mesma forma, podas mal feitas podem inclusive atrair pragas e comprometer a produtividade”.

Sobre a dúvida do período ideal para a poda, Tokunaga é preciso. “Quando a planta começa a amarelar é o momento certo para podar, assim na época de brotar ela terá mais vigor”. Antes de podar é preciso observar a árvore e pensar no potencial de cada galho sempre com o uso das ferramentas certas.  “Podar não uma questão de força, mas de técnica e de boas ferramentas”.

Para produzir frutas de qualidade o solo também precisa ser observado e requer atenção. “O solo precisa ficar protegido do sol com matéria orgânica, já que a incidência dos raios sobre o solo exposto mata microrganismos que são essenciais para as plantas e com as frutíferas não é diferente”, alerta.  

Como forma de orientar o crescimento dos galhos na posição desejada, Tokunaga recorre ao uso de linhas e fios.  Para evitar que os pássaros e outros animais se alimentem dos frutos, Tokunaga recomenda o uso de papel pardo ou de TNT.

Confira as orientações do consultor Takanoli Tokunaga