Cerca de 4.500 mudas plantadas em várias regiões do país é resultado da ação para celebrar o Dia Mundial de Proteção às Florestal, uma iniciativa do Projeto Semeando Água em conjunto com outros 14 projetos ambientais patrocinados pela Petrobras.  O plantio do Projeto Semeando Água priorizou quatro espécies da Mata Atlântica, sendo que três estão ameaçadas de extinção: araucária, pau-brasil e jacarandá-da-Bahia. A quarta espécie que completa a iniciativa é o palmito-juçara. O local escolhido foi uma das áreas com restauração em andamento próxima à represa Atibainha, em Nazaré Paulista, que integra o Sistema Cantareira. Até o momento, o Projeto Semeando Água, como forma de contribuir com o aumento da resiliência do Sistema Cantareira, contabiliza mais de 50 mil árvores da Mata Atlântica plantadas em 30 hectares de Áreas de Preservação Permanente (APPs) hídricas.

Essa iniciativa faz parte de uma ação coletiva, resultado da integração de projetos patrocinados pela Petrobras, a maioria da linha Florestas e Clima, patrocinados por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Na cultura popular brasileira, a proteção das florestas é personificada na figura mítica do Curupira, um espírito mágico que habita as florestas e ajuda a protegê-las da invasão e ataque de pessoas mal intencionadas. Por este motivo, o dia 17 de julho também é considerado o Dia do Curupira, o “protetor das florestas”. Por isso, nesta data muitas ações práticas são realizadas para mostrar à população os perigos que aguardam a humanidade, caso não seja feito algo para proteger as florestas.

Essa ação que envolveu crianças, jovens, universitários, comunidade tradicionais e povos indígenas pretende reforçar a importância da proteção das florestas não só para a regulação do clima, mas também para a manutenção da vida no planeta. A ideia é aproximar as pessoas e a natureza disseminando conhecimentos sobre as espécies ameaçadas, a necessidade de recuperação e preservação dos recursos para gerações futuras e também a utilização das plantas em várias atividades humanas como a alimentação, o uso medicinal, a produção de cosméticos, entre outros.

Esta ação contou com campanha digital nas redes sociais dos projetos participantes com a hashtag #florestaseclima e #juntospelomeioambiente.